17 meses de World of Warcraft

Agora que se aproxima uma nova era de World of Warcraft, com a chegada da expansão The Burning Crusade, parece ser uma boa altura para olhar para trás e pensar o que foram estes meses de jogo. 17 meses é muito tempo, mais tempo do que qualquer outro jogo que eu tenha jogado. E o que tenho eu para mostrar?

Alaessa vs Onyxia

Comecei as minhas aventuras em Azeroth, como gnomo warlock, nas montanhas brancas perto de Ironforge. Nessa altura, comecei a jogar com amigos meus (que entretanto se fartaram do jogo, ou deixaram de jogar por falta de tempo). World of Warcraft é um jogo que é fácil de começar a jogar, e apesar de não ser deslumbrante, é bonito. E aqueles momentos em que comecei a jogar e a explorar o mundo, em que tinha os meus amigos à distancia de um whisper e em que partilhava o mundo com eles, esses foram os melhores momentos. Acho que são aqueles de que mais tenho saudades. Desde aí, juntámo-nos a uma guild (infames Iron and Wine), e fizemos novos amigos com os quais explorámos os extremos de Azeroth. Não foi difícil chegar a 60 a primeira vez, fazer as instances a primeira vez (já nessa altura era difícil arranjar grupos), descobrir os cantos dos mapas todos era bastante divertido, e quer-se sempre mais. Jogar mais um bocadinho, subir outro nível, apanhar aquele item. Para muitos o sofrimento chega quando se está em 60. Deixa de haver sitios novos onde se pode ir sozinho, passamos a depender de outros e a fazer coisas em grupo. Grupos pequenos, grupos maiores, grupos mesmo grandes.

Não vi o jogo todo, é certo, mas acho que já não foi mau. Com a nossa comunidade (da qual sou lider da minha classe e por vezes lider de raids), inicialmente Iron Fist, e depois reformada para a actual Relentless, limpámos Molten Core e matámos o Ragnaros. Limpámos Zul Gurub e matámos o Hakkar. Limpámos as ruínas de Ahn Qiraj, matámos o Ossírian. Matámos a terrifica Onyxia (é uma chata :P) e o demónio Kazzak (é um mariquinhas…). Estivemos a dançar na cara do Nefarian. E foi divertido. Luta após luta, encontrar a estratégia para derrotar o monstro e conseguir após muito esforço (e raids de SETE horas). A vitória sabe bem assim. E é claro, existem os itens fofos para ganhar e ir mostrar para Ironforge.

Muita gente deixou o jogo entretanto. Sempre que alguém se ia embora, nestes últimos tempos, eu perguntava-me quando seria a minha vez. Cheguei a pensar em parar várias vezes, mas as responsabilidades para a comunidade e um ou outro in-game objective que aparecia… Pelo que ainda aqui estou. Enquanto me divertir… mas não quero deixar de fazer outras coisas.

Valeu a pena? Houve desilusões e tristezas, e muitas alegrias. Conheci muitos jogadores interessantes e divertidos. E a chamarem-me viciada… já conheci bastantes piores que eu. Acho que sim, valeu a pena. Vale a pena. E tenho expectativas em relação à expansão. Quero explorar de novo, nivelar de novo, encontrar coisas novas. Enquanto for divertido andarei por Azeroth e Outlands. Quando deixar de ser, partirei para outros mundos.

Deixe um comentário

Filed under World of Warcraft

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s