Player’s Handbook 3 em Eberron

A Quarta Edição de D&D tem quase dois anos e o número de livros que já foram lançados é enorme. Muitas vezes ficamos sem saber se o livro é útil na campanha que estamos a correr, no meu caso, uma campanha passada no mundo de Eberron, um setting já existente. Sempre que a WotC cria uma nova raça temos que a martelar na nossa campanha para a tornar disponível para os jogadores? E uma nova área? Uma nova power source? Neste post, vamos ver como adicionar as novas raças do PHB3 à minha campanha.


Psiónicos em Eberron

O poder psiónico sempre teve influência no setting de Eberron, desde o lançamento original na versão 3.5 de D&D. No reino de Riedra, no continente distante de Sarlona, os Inspired, hospedeiros para os espíritos imortais dos Quori, habitantes do plano dos sonhos Dal Quor, utilizam o poder psiónico para manter o povo do reino no seu controlo. Do lado das raças jogáveis temos os seus adversários, os Quori bons, que se ligaram aos monks de Adar para formarem os Kalashtar.

Entre as várias tentativas de invasão de Dal’Quor e Xoriat no continente de Khorvaire e Xen’drik, a influência das criaturas oriundas desses planos pode estar em qualquer lado.

Githzerai

Centenas de anos atrás, numa altura em que Kythri, The Churning Chaos estava mais próximo do plano de Eberron, uma área de influência desse reino distante abriu-se temporariamente perto do que agora é a fronteira entre Aundair e Breland. Nessa altura um grupo de Githzerai escapou do Elemental Chaos, fugindo dos seus inimigos mortais os Githyanki, e encontrou refúgio num dos vários mosteiros que povoam as terras de Aundair.

O Mosteiro da Corrente de Fogo situa-se escondido entre a base das montanhas Blackcaps, onde muitos Githzerai e também alguns humanos, estudam e meditam. É costume entre os membros da ordem, a viagem solitária ou em grupos de dois por Aundair ou mesmo Khorvaire. Alguns Githzerai que preferem o estudo de outras artes formaram comunidades nas terras mais próximas, Cragwar e Larunor, com as quais o mosteiro efectua trocas e mantém o contacto.

Jaunt, um membro da casa Orien fascinado pela magia de Teleportação e rituais de criação de portais, mantém-se em contacto com os monges da ordem, interessada na sua origem extra-planar. A Casa Orien procura formas de se expandir pelos planos, procurando ganhar vantagem sobre as outras casas, para balançar as perdas ocorridas na guerra.

Minotaur

Entre as várias raças monstruosas que formam a nação de Droaam, está o minotauro. Na fronteira com Breland, perto das montanhas de Graywall, Rhesh Turakbar, um poderoso warlord governa a partir da fortaleza de Turakbar’s Fist e o seu clã de adoradores do lorde demónio Baphomet são conhecidos por atacar mercadores e viajantes nas estradas entre Droaam e Breland. Mas nem todos os minotauros são seguidores do Horned King.

Outros clãs que procuram uma vida mais civilizada procuraram refúgio nas cidades de Droaam, como Graywall ou The Great Crag. Muitos deles são trabalhadores nas pedreiras e ajudam no crescimento das cidades, e por conseguinte, da nação.

Shardmind

Criaturas feitas de shards de cristal, não inteiramente diferentes das afamadas dragonshards, os Shardminds caíram do Anel de Siberys à milénios atrás, aterrando no continente de Xen’drik. O seu poder afectava a mente das criaturas à sua volta. Os seus números nunca foram muito grandes, e entre eles a maioria permaneceu num estado dormente nas profundezas da floresta ou enterrados nas suas profundezas. Ao longo do tempo, alguns despertaram, tendo ensinado artes psiónicas a gigantes e dragões, vagueando pelos continentes em busca do sentido da sua vida. Outros foram adorados como deuses por tribos indigenas das selvas do continente perdido, ou encontrados por arqueólogos em antigas ruinas e considerados artefactos, levados para museus.

Forças de Xoriat ou de Dal Quor, como os planos dos lideres da nação de Riedra no distante continente de Sarlona, poderão fazer com que acordem e venham em defesa de Eberron. Entre a população geral poderão ser confundidos com estranhos warforged.

Wilden

Os Wilden acordaram um dia nas florestas de Thelanis, também conhecido pelo nome de Feywild, conhecendo consciência pela primeira vez. Eles fizeram amizade com outros habitantes desse plano, gnomes e eladrin, tendo algum deles passado a habitar nas suas Feyspires. Outros mantiveram-se entre os bosques, as driads, as maravilhas e monstros desse mundo fantástico, passando entre os planos para Eberron por várias zonas de influência nas Eldeen Reaches.

Quando as Feyspires ficaram presas em Eberron, após os eventos do dia do Mourning, muitos Wilden vieram com elas, juntando-se aos eladrin na busca para uma maneira de voltar a casa.

2 comentários

Filed under Dungeons & Dragons, Roleplay

2 responses to “Player’s Handbook 3 em Eberron

  1. Oi, Cláudia. Soube deste blogue através da malta do TáQuinas quando estive no D&D Game Day. Parabéns por estes artigos e pela campanha! Já fiz o devido destaque no meu podcast em http://jogadorsonhador.podbean.com/2010/04/16/15-ha-mar-e-mar-ha-ler-e-jogar/

  2. Pingback: Underdark em Eberron « Paper Dragon

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s