Livros, livros e mais livros

Podia haver muito para contar sobre o que se passou comigo desde o último post, acidentes rodoviários, raptos alienigenas e queda por um buraco interplanar. Felizmente nada de isso aconteceu e foi só preguiça/falta de tempo para escrever no blog. Um dos acontecimentos que se passou foi, claro está, a Feira do Livro de Lisboa. Apesar de inicialmente não me encontrar muito motivada a comprar MAIS livros para encher a minha lista de livros por ler, acabei por comprar uns quantos, e acabar outros tantos neste espaço de tempo.

IMG_5578

Stranger in a Strange Land

Stranger in a Strange Land, de Robert A. Heinlein, não foi exactamente lido. Depois de ouvir o Getting Things Done nas viagens de e para o trabalho, aliado ao meu interesse de ler mais ficção cientifica, claramente uma lacuna na minha educação literária, arranjei este livro na versão audio book. É um pouco estranho ao principio, já que o mesmo voice actor tem de fazer as vozes das várias personagens. No entanto, permite aproveitar o tempo de viagem e não é difícil de perceber para quem está habituado a ouvir inglês.

Em relação ao livro em si, talvez não devia estranhar que o livro é estranho quando o nome tem “estranho” duas vezes. Um humano criado por marcianos é trazido de volta à Terra, estando de volta de uma série de questões políticas, económicas e religiosas. É muito estranho mesmo.

Heat Wave

Heat Wave, de Richard Castle,… ah? Castle é uma série de TV sobre um escritor de livros de mistério, chamado Richard Castle, que graças a sua amizade com o Mayor de Nova Iorque, passa a seguir a detective de homicídios Kate Becket e a sua equipa nos seus casos, com a desculpa que se trata de pesquisa para o seu próximo livro, que acaba por ser Heat Wave. O livro saiu deste lado do pequeno ecrã e é bastante engraçado.

No livro, seguimos personagens claramente baseadas nas da série, a detective Nikki Heat e o jornalista Jameson Rook, que também a segue nos seus casos para pesquisa para um artigo de revista. As próprias cenas do livro são baseadas nas cenas da série, sendo facilmente reconhecidas por quem acompanhou a primeira temporada de Castle. Na segunda temporada de Castle, há várias referências ao conteúdo do livro, incluindo um episódio em que um assassino em série trata a detective Becket pelo seu alter-ego literário, Nikki Heat. Para quem gosta da série, que é o meu caso, o livro é muito divertido, cheio de referências. Para quem não acompanha a série, creio que não terá tanta piada, apesar de não haver nenhuma referência directa, há muito que se perde.

Magic Bleeds

O quarto livro da série Kate Daniels de Ilona Andrews saiu no passado mês de Maio, para grande entusiasmo da S. e claro que eu também estava bastante expectante. Sem muitos spoilers, Kate tem de enfrentar um estranho que provoca doenças, entre ataques de undeads e a sua estranha relação com Curran, Beast Lord of the Pack.

Escusado será dizer que li o livro a correr e gostei do final (porque, para mim, acaba bem!), no entanto fiquei com a impressão que acabou muito depressa. Não exactamente a sensação que “oh, isto é tão fixe que se lê num instante”, mas que o crescendo que os livros desta série costuma ter foi demasiado abrupto, deixando algumas personagens “soltas”, e consequentemente, as suas histórias inacabadas. A boa notícia agora é que, o livro cinco já está a ser escrito.

Dragon War

Em Dragon War, James Wyatt traz-nos de volta as personagens de Gaven, Rienne, Aunn, Cart e Ashara numa grande aventura que desenrola o embaraçado novelo da profecia dracónica.

Como normalmente me acontece em relação a livros passados no mundo de Eberron, gostei bastante do livro. Este era o terceiro de uma trilogia, verificando-se alguns pontos de melhoria em relação ao volume anterior.

Em relação à acção a decorrer em vários pontos de vista diferentes, este está bem melhor que o anterior. Saltamos muito mais de personagem, mas temos a noção de várias acções a decorrer em simultaneo, em vez de andar para trás no tempo quando passamos para outro personagem, como aconteceu no Dragon Forge.

No entanto, o final parece-me incompleto. Não se percebe as consequências de alguns dos acontecimentos que surgem no final do livro, e que deveriam ser bastante grandes. Mais umas páginas a contar isso não faria mal a ninguém…

Quase todas as personagens principais mudam neste livro, passando por uma transformação e evolução psicológica. Algumas coisas não são bem explicadas, como (spoilers!) Gaven ter controlo sobre as tempestades, mesmo sem ter a marca de tempestade, ou a dragonshard . A inclusão de um Kalashtar também não se percebe muito bem, creio que não seria necessário por mais uma camada de complicação, mais uma raça e um vilão, que depois fica com a sua história inacabada (será uma ligação para uma sequela?).

Tokyo Killer

Uma das compras nesta Feira do Livro de Lisboa, Tokyo Killer de Barry Eisler, publicado pela Saída de Emergência (título original Rainfall), conta a história de um assassino, John Rain, que actua em Tóquio e vê-se envolvido numa confusão após a conclusão de um trabalho que parecia bastante simples.

Primeiro, devo dizer que me custou um pouco dar 16€ por um livro de 300 páginas, mas o título do livro chamou-me a atenção e o meu namorado acabou por me convencer a comprá-lo. Segundo, o livro é contado na primeira pessoa, ao estilo de um livro de mistério/policial de detectives, e soa estranho em português. Fiquei com a impressão que teria gostado mais do livro na sua versão original, do que nesta versão traduzida. Acabei por não achar o livro nada de especial, valendo alguns pontos as referências à cultura japonesa.

2 comentários

Filed under livros

2 responses to “Livros, livros e mais livros

  1. Respeito imenso o Heinlein como autor, mas nunca fui capaz de terminar a leitura do “Stranger in a Strange Land” como deve ser. Foi dos poucos livros do género em que isso me aconteceu. Apesar das referências duradouras que deixou, como o conceito de “grokar”, o global do livro não me convenceu. O sub-contexto messiânico da personagem e toda a respectiva envolvente religiosa do livro cansou-me por alturas do último terço do livro.

    Verdade seja dita, já lá vai mais de uma década desde que peguei nesse livro pela última vez. Se calhar actualmente veria-o com outros olhos.

  2. Rayana Felipe

    Eu acompanho a série Castle e gostaria muito de ler o livro, mas só é encontrado em inglês… =/ Será que não tem uma tradução por aí???

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s